Visitas guiadas na Reitoria, nos Museus da Universidade de Lisboa e a dois Liceus Históricos de Lisboa

Dia 13 de julho (6.ª feira)

Mediante inscrição a realizar no secretariado no 1º dia do Congresso, dia 12.

Visita guiada na Reitoria da Universidade de Lisboa
17h30 – 18h30

“A Arte integrada da Reitoria da Universidade de Lisboa”
por Ana Pascoal

O edifício da Reitoria da Universidade de Lisboa, localizado na Cidade Universitária, foi inaugurado a 3 de dezembro de 1961, integrado num projeto que o arquiteto Porfírio Pardal Monteiro desenvolveu desde meados da década de 1930, que incluiu também as Faculdades de Direito e de Letras. A Reitoria é o centro administrativo e burocrático da Universidade de Lisboa, destacando-se no topo da Alameda da Universidade pela sua configuração arquitetónica e pelo património artístico integrado que possui. Nesta visita, pretende-se dar a conhecer a história deste emblemático edifício, planeado como “obra total”, e o programa de decoração que lhe foi aplicado, que congrega relevantes artistas portugueses como Almada Negreiros, Lino António e Daciano da Costa, entre outros.


Visitas guiadas nos Museus da Universidade de Lisboa
Rua da Escola Politécnica - ver mapa
16h00 – 17h00


Exposição “Memória da Politécnica”
por Fernando António Baptista Pereira

Desde o início do século XVII que o local conhecido como “Politécnica”, onde hoje se encontra a unidade “Museus da Universidade de Lisboa”, alberga ininterruptamente instituições de ensino, ciência e cultura. A exposição pretende contar a história deste local, que ao longo do tempo foi um pólo de intensas trocas de conhecimentos, artefactos e espécimes entre o Oriente e o Ocidente e também de cruzamento de culturas. Por aqui passaram, como alunos e como professores, as mais importantes personalidades da cultura portuguesa, como o Padre António Vieira e São João de Brito. Na exposição estão expostas peças de grande interesse histórico como, por exemplo, o magnífico túmulo seiscentista de Fernão Telles de Menezes, fundador do Noviciado da Cotovia, que é pela primeira vez exposto ao público; os quadros setecentistas “Panorama da Cidade de Lisboa antes do terramoto de 1755” e “Visão perspética de Goa”, atualmente no Museu Nacional de Arte Antiga, expostos no local para onde foram concebidos; um raro frontal de altar sino-português do séc. XVIII, bem como relicários, esculturas, paramentaria e missais dos séculos XVII e XVIII; uma carta manuscrita de Charles Darwin ao naturalista português Arruda Furtado, única em Portugal; inúmeras plantas, desenhos, fotografias e manuscritos científicos originais, nunca antes expostos.

“Laboratorio Chimico”, “Amphiteatro” e Reservas visitáveis
por Marta Lourenço

O Laboratorio e o Amphiteatro de Chimica da Escola Politécnica são uma jóia histórica e científica da Universidade de Lisboa, da cidade e do país. É possivelmente o único sobrevivente dos grandes laboratórios de ensino e de investigação das universidades europeias. Desde a sua construção que se elogia a sua monumentalidade, funcionalidade e elegância. Numa primeira abordagem o Laboratorio tem relevância pela sua beleza, singularidade e pela atmosfera autêntica que proporciona a quem visita. Por outro lado, o Laboratorio Chimico no seu conjunto, bem como a articulação dos diferentes espaços e a sua evolução ao longo do tempo, são muito relevantes para a história da química e do seu ensino, particularmente em Portugal. Há ainda a referir a existência de uma das mais importantes colecções de química da Europa, proveniente deste mesmo espaço.

Exposições de Matemática
por Anabela Teixeira

Visita à exposição “Jogos Matemáticos através dos tempos”, que apresenta e interpreta réplicas dos jogos de tabuleiro mais antigos que se conhecem, tanto do ponto de vista das regras como no que diz respeito ao contexto histórico e social em que se inserem. No espaço dedicado ao Cálculo, o visitante poderá contemplar instrumentos de cálculo da coleção de Matemática do Museu, efetuar cálculos com réplicas de alguns instrumentos utilizados ao longo dos tempos e visitar a exposição “O Cálculo de ontem e de hoje”. Por fim, ligando modelos geométricos, objetos de uso comum e formas de arquitetura com fórmulas matemáticas, mostra-se como os mundos da Geometria (formas) e da Álgebra (fórmulas) se apoiam e completam na exposição “Formas & Fórmulas”.

Jardim Botânico
por Ireneia Melo

O Jardim Botânico da Universidade de Lisboa é um jardim científico que foi projectado em meados do século XIX para complemento do ensino e investigação da botânica na Escola Politécnica. As colecções sistemáticas servem vários ramos da investigação botânica, demonstram junto do público e das escolas a grande diversidade de formas vegetais e múltiplos processos ecológicos, ao mesmo tempo que representam um meio importante e efectivo na conservação de plantas ameaçadas de extinção. A notável diversidade de palmeiras, vindas de todos os continentes, confere inesperado cunho tropical a diversas localizações do Jardim. As cicadáceas são um dos ex-libris do Jardim. Autênticos fósseis vivos, representam floras antigas, que na maioria se extinguiram. O Jardim é particularmente rico em espécies tropicais originárias da Nova Zelândia, Austrália, China, Japão e América do Sul, o que atesta a amenidade do clima de Lisboa e as peculariedades dos microclimas criados neste Jardim.

Visitas a antigos Liceus de Lisboa:
16h30 – 18h00

Antigo Lyceu de Camões (atual Escola Secundária de Camões)
Ver mapa
por José Vasconcellos,
com a colaboração de Lina Marques, Teresa Carvalhal, Isabel Baldé e Carlos Manique

Projetado pelo grande arquiteto Ventura Terra e construído por António Ribeiro, inaugurou a 8 de Novembro de 1909, tendo permanecido sempre no local de origem.
Pelo Camões passaram grandes personalidades da História e da Cultura do nosso país, quer como alunos quer como professores: Mário de Sá-Carneiro, Vergílio Ferreira, Aquilino Ribeiro, entre outros. A Escola Secundária de Camões possui um vasto património educativo, histórico e arquitectónico que se pretende dar a conhecer ao longo desta visita.


Antigo Lyceu de Passos Manuel (atual Escola Básica e Secundária Passos Manuel)
Ver mapa
por Catarina Leal,
com a colaboração de Fernando Faria, Ana Catarina San Payo de Araújo e de Susana Câmara e Sousa

O edifício do Lyceu Passos Manuel, o primeiro e único liceu inaugurado no Portugal republicano, fez 100 anos no dia 9 de Janeiro de 2011, pois embora fundado muito antes e após ter passado por sete outros locais da cidade de Lisboa, foi neste dia que no edifício do Lyceu se lecionou a primeira aula. Calcula-se que pelo histórico edifício, recentemente objeto de profunda remodelação por parte do Parque Escolar, tenham passado entre 60 a 70 mil alunos ao longo deste século. A Escola Básica e Secundária Passos Manuel possui um vasto património educativo, histórico e arquitetónico que se pretende dar a conhecer ao longo desta visita.